Privacidade não é crime, é direito!

Privacidade não é crime, é direito!

Tradução do comunicado do Riseup.

Na terça-feira, 16 de dezembro, uma grande operação policial ocorreu no Estado Espanhol.

Catorze casas e centros sociais foram invadidos em Barcelona, Sabadell, Manresa e Madrid. Livros, panfletos e computadores foram apreendidos e onze pessoas foram presas e enviadas para a Audiência Nacional, uma corte especial que cuida das questões de ''interesse nacional'', em Madrid.

Eles são acusados de incorporação, promoção, gestão e pertencimento de uma organização terrorista. No entanto, os advogados de defesa denunciaram a falta de transparência, dizendo que seus clientes tiveram que dar declarações sem saber pelo que estavam sendo acusados. ''[Eles] falam de terrorismo sem especificar os atos criminais concretos ou fatos concretos individualizados atribuídos a cada um deles.''2

Cryptowars: Backdoors obrigatórios e retenção de dados

Cryptowars: Backdoors obrigatórios e retenção de dados

Festa de 10 anos do Coletivo Saravá!

Festa de 10 anos do Saravá

Este ano o Saravá faz 10 anos defendendo a liberdade de expressão, resistindo à repressão e à precária infraestrutura e precisamos comemorar!

Por isso convidamos as pessoas que de alguma forma colaboraram e continuam colaborando com a existência do coletivo para uma festa com a discotecagem do Sistema Negro no bar Las Magrelas!

Marco Civil: abacaxi não é alicate

Retenção de Dados Segundo o Marco Civil da Internet

Muita gente ainda tem dúvidas na relação entre o Marco Civil da Internet e a apreensão de dados do Saravá. Assim, decidimos explicitar com maior precisão as nuances do nosso caso.

Marco Civil e quebra de sigilo nas comunicações

O recente episódio envolvendo a apreensão dos discos do Grupo Saravá levanta muitas questões sobre o Marco Civil da Internet e seu artigo 15.

O Saravá acredita que tal lei representa um grande avanço no acesso à internet e na proteção da privacidade das comunicações e foi fruto de processos legítimos de participação social. Prova disso foi o intenso lobby de setores conservadores compostos especialmente pelas grandes empresas de telecomunicações que jogam contra os/as internautas.

Servidor do Saravá tem seus discos rígidos apreendidos para investigação por representante do Ministério Público Federal

Do not censor the internet

No dia 28 de abril de 2014 um representante do Ministério Público Federal retirou os discos rígidos do principal servidor do Grupo Saravá, deixando fora do ar vários serviços hospedados pelo grupo. Em negociação com o Grupo Saravá, foi acordado que o MPF levasse apenas os discos e deixasse a máquina intocada.

Urgente - Grupo Saravá está prestes a perder seu principal servidor!

PRIMEIRO ROUBO DE DADOS APÓS APROVAÇÃO DO MARCO CIVIL:
ATAQUE POLICIAL À PRIVACIDADE PODE OCORRER DEPOIS DE EVENTO NETMUNDIAL.

Por conta de um processo que corre em segredo de justiça contra a Rádio Muda, a mais antiga rádio livre em operação no Brasil, o principal servidor do Grupo Saravá poderá ser apreendido nesta próxima segunda-feira 28/04 às 13:00.

Grupo Saravá protesta contra requisição para fornecimento de dados


Saravá: por uma internet livre

Brasil - 23/04/2014 - Nós do Grupo Saravá estamos temerosos(as) com a ação arbitrária do Ministério Público Federal ao solicitar acesso a conteúdo hospedado.

#OurNetMundial

#OurNetMundial

Pílulas de Privacidade